7 passos para uma política de remuneração e benefícios eficiente

janeiro 22, 2019 / Benefícios

O atual cenário brasileiro sugere que as empresas atendam às novas demandas dos profissionais. Se no passado bastava um bom salário para atrair e reter os melhores talentos, hoje é necessária uma política de remuneração e benefícios atraente.

Entretanto, não se trata de oferecer o combo básico composto pela remuneração, vale-alimentação e plano de saúde. É preciso uma atuação estratégica ao planejar e implementar os novos programas para que eles atinjam as necessidades da empresa.

Este artigo destaca os aspectos conceituais dessa política, a importância de desenvolver ferramentas que estejam alinhadas aos valores do negócio e traz dicas de implementação. Continue a leitura e saiba mais!

O que é a política de remuneração e benefícios

A política de remuneração e benefícios, também chamada de sistema de recompensas, pode ser definida como o conjunto de elementos que é proporcionado aos colaboradores devido às atividades desempenhadas dentro da empresa. Ou seja, é a forma utilizada para realizar o pagamento dos trabalhadores dentro de uma organização.

Esse conjunto geralmente é definido por:

  • remuneração básica;
  • incentivos salariais;
  • benefícios sociais.

Esses itens variam de acordo com as funções atribuídas a cada cargo; são complementares e buscam alinhar o comportamento das equipes com os objetivos e metas do negócio.

Quando compostos de forma correta, podem ser considerados os principais elementos motivacionais e de engajamento, pois estão diretamente relacionados com o reconhecimento do serviço prestado ao contratante.

Qual a importância de sua implementação

Quando o assunto é motivação e engajamento, essas duas palavras por si só já concentram um grande peso no que diz respeito às vantagens para uma empresa. A definição de uma política de remuneração e benefícios não deixa de fazer parte de uma gestão de recursos humanos estratégica. Quando uma organização opera dessa maneira, ela consegue:

  • formar uma equipe proativa;
  • ter colaboradores disciplinados;
  • manter vantagem competitiva;
  • incentivar a formação de líderes;
  • demonstrar seu respeito ao colaborador;
  • promover a sinergia entre as relações; e
  • entrar num ciclo de melhorias contínuas.

Assim, o negócio consegue atingir um comportamento que pode ser considerado uma tendência no mercado. Hoje, uma empresa sustentável é aquela que trata o seu capital humano como o coração da empresa. Por isso, os colaboradores são devidamente recompensados pelo seu trabalho.

Entender que a remuneração não deve se limitar somente ao salário bruto é fundamental para atingir os objetivos traçados: resultados, atração e retenção de talentos etc., e garantir o compromisso e a lealdade dos colaboradores.

Como estabelecer uma política eficiente

Agora que você já entendeu que uma política de remuneração e benefícios é a chave para atrair os melhores profissionais do mercado e uma rotina altamente produtiva, veja de que forma é possível estabelecer esse regime em 7 passos.

1. Analise a política de remuneração atual

Antes de fazer qualquer mudança, é necessário diagnosticar a realidade atual da empresa. Considere os pontos fortes e fracos, o perfil da administração e dos colaboradores, e o quanto a remuneração atual pode ser responsável pelo desempenho que as equipes vêm apresentando.

Isso pode ser feito de maneira bastante direta por meio de pesquisas sobre o clima organizacional. Então, estabeleça um diálogo transparente com os seus colaboradores e veja o que eles têm a dizer.

2. Alinhe a política de remuneração às estratégias da empresa

Como você pôde perceber ao longo deste artigo, a política de remuneração e benefícios só poderá realmente trazer bons resultados se ela estiver devidamente alinhada com a cultura da empresa e com o planejamento estratégico.

Para atingir os resultados esperados é preciso assumir o lugar de elemento motivador, por isso, estude o que a concorrência vem oferecendo, vá além dos benefícios tradicionais e observe se o que está sendo oferecido está de acordo com os valores da empresa.

3. Seja criativo ao oferecer os benefícios

Sair do senso comum e ir além dos benefícios tradicionais é um excelente passo na hora da implementar a nova política de remuneração.

Isso porque o cenário atual mostra que grandes profissionais buscam qualidade de vida no trabalho. Portanto, além do plano de saúde e vale-refeição, vale a pena investir em diferenciais como home-office, bolsas de estudo e auxílio-creche.

Vale frisar que algumas empresas já estão indo além da participação nos lucros e oferecendo viagens corporativas, clube de descontos, parcerias com academias e premiações específicas.

4. Estabeleça um plano de implantação

Toda mudança necessita também de um plano de ação. Para que o programa seja implementado de maneira eficaz, a empresa precisa:

  • preparar os líderes;
  • treinar os gestores;
  • estudar o organograma para que as mudanças sejam justas;
  • comunicar as novas políticas; e
  • estabelecer métricas para mensurar os resultados.

É importante verificar constantemente os índices de produtividade e os resultados obtidos, pois só assim será possível saber se o negócio tomou as melhores decisões e está indo pelo caminho certo.

5. Faça uma análise da concorrência

A contratação de perfis que estejam alinhados com a equipe é uma tarefa complicada para qualquer RH. Os profissionais estão cada vez mais empenhados em serem os melhores. Por isso, reter esses talentos está cada vez mais difícil.

Assim, realizar pesquisas de mercado para conhecer o quanto estão oferecendo pelas mesmas funções vem se tornando uma obrigação entre os gestores, principalmente para entender quais são os diferenciais em que a concorrência está investindo.

6. Verifique se os salários são compatíveis com o orçamento da empresa

Estabelecer uma política de remuneração e benefícios requer responsabilidade, do contrário, a empresa pode acabar no vermelho em longo prazo ou ainda sofrer ações trabalhistas em casos extremos.

A valorização dos colaboradores deve estar em equilíbrio com os recursos da empresa, já que os salários não podem atrasar, e você não pode cancelar os benefícios oferecidos.

7. Incentive as equipes

Os benefícios também podem ser usados como um adicional para incentivar os colaboradores a alcançarem uma meta específica. Por exemplo, a empresa pode estabelecer um valor de faturamento no segundo semestre do ano que, se for atingido, garante que o 13º salário seja pago em dobro.

Reuniões periódicas para dar um feedback às equipes também são de extrema importância para manter os trabalhadores incentivados, uma vez que os elogios devem fazer parte do dia a dia da empresa e complementam o quadro de elementos motivadores.

Uma política de remuneração e benefícios já pode ser realizada com a ajuda de softwares especializados em relacionamentos, como a Macro Plataforma. A ferramenta tem como objetivo valorizar o colaborador por meio de benefícios, exatamente da forma que relatamos neste texto.

Entre em contato conosco, conheça nossos planos e desfrute das vantagens de uma equipe motivada. Esperamos por você!

Facebook Comments

Relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.